Congelamento social de óvulos

Atualmente, grande parte das mulheres pensa em engravidar somente após a conquista do sucesso profissional que, geralmente, ocorre acima dos 30 anos. Na década dos 20 anosaté início da década de 30 anos de idade, as mulheres são jovens e estão com a saúde em perfeito estado, porém, para engravidar, a idade superior a 35 anos é considerada acima do ideal do ponto vista biológico. Além da queda no número de óvulos e consequente maior proximidade da menopausa, com o envelhecimento acontece também a perda da qualidade dessas células, já que os óvulos podem acumular efeitos do ambiente, como poluição, radiação, medicações e outros. Além do efeito negativo sobre a possibilidade de gravidez, deixar para engravidar após os 35 anos pode aumentar a probabilidade de complicações fetais, como abortos e alterações genéticas. Por esses motivos, o grande incentivo ao congelamento social dos óvulos repousa sobre o fato de poder ter a oportunidade de engravidar tardiamente com os benefícios da utilização de "biologia jovem", isto é, óvulos congelados em idade mais precoce que aquela em que a mulher desejar engravidar.
O congelamento de óvulos para postergação da maternidade cada vez mais é uma alternativa para mulheres que não querem ou que não podem engravidar no momento atual, ou então para aquelas que ainda não encontraram o parceiro ideal.
É importante ressaltar que o congelamento de óvulos oferece uma possibilidade de gravidez que é determinada pelo número de óvulos congelados e pela idade da mulher quando do congelamento. A sugestão dos inúmeros estudos científicos acerca do assunto é que, idealmente, para alcançar uma taxa de sucesso em se obter gestação de aproximadamente 70 a 80% devam ser congelados entre 15 e 20 óvulos.
O congelamento de óvulos, assim como qualquer técnica de reprodução assistida, não garante que haverá gravidez. Por ser a IDADE DA MULHER o principal fator determinante da chance de gravidez, aconselha-se que a mulher pense nessa possibilidade antes dos 35 anos de idade. A partir desta idade, haverá necessidade de um número maior de óvulos congelados para se obter uma gravidez.
Como funciona? Abaixo você identifica o passo a passo no planejamento para a postergação da maternidade através do congelamento de óvulos:

  1. Primeira consulta - avaliação do histórico de saúde, avaliação da reserva ovariana (quantidade de óvulos disponíveis a cada ciclo menstrual), solicitação de exames, discussão dos procedimentos, estabelecimento de número de óvulos necessários para uma taxa aceitável de gestação futura, discussão do número de ciclos de estimulação necessários.
  2. Estimulação da ovulação - a avaliação inicial para autorizar a estimulação da ovulação é feita entre o primeiro e o segundo dia da menstruação. A paciente entrará em contato com o Embrios  para agendamento imediato de ultrassonografia pélvica. Esse exame indicará o início da estimulação. Nos próximos 10 a 14 dias a paciente será visto em intervalos de aproximadamente 3 dias para acompanhamento do crescimento folicular (óvulos). Quando os folículos ovarianos, estruturas que comportam os óvulos, atingirem o tamanho adequado, infere-se a maturidade dos óvulos, determinando-se a coleta dos mesmos.
  3. Coleta dos óvulos / punção ovariana - a paciente comparecerá à clínica em jejum para o procedimento que será realizado sob sedação na presença de um médico anestesiologista, um radiologista intervencionista e do ginecologista. A coleta dos óvulos será realizada através do uso do ultrassom transvaginal acoplado a uma agulha e sistema de aspiração. Ultrapassando a parede vaginal, a agulha alcançará os ovários sob visão ultrassonográfica e aspirará o liquido folicular onde estarão contidos os óvulos. O material aspirado será entrega ao embriologista no laboratório anexo à sala de procedimentos, onde será processado 1 a 2 horas após seu recebimento.
  4. Os óvulos serão armazenados em finas estruturas cilíndricas de material especial, de tamanho aproximado de 5 cm, através do processo de vitrificação e armazenados em botijões de nitrogênio líquido à temperatura de -196ºC, devidamente identificado.
  5. Quando do desejo de gestar, os óvulos serão descongelados e submetidos à técnicas de laboratório (fertilização in vitro), para posteriormente embriões serem transferidos ao útero.

Comments are closed.

WhatsApp
Enviar WhatsApp