Mandamentos da fertilidade

1. NÃO RETARDE A GRAVIDEZ
A mulher nasce com um número de óvulos e esses são utilizados ao longo da vida, não havendo produção de óvulos “novos”. Como consequência, quanto mais tarde forem iniciadas as tentativas de gravidez, mais velhos e menos eficientes serão os óvulos utilizados para essas tentativas de gravidez e menor será a quantidade de óvulos disponíveis para obter uma gestação. Portanto, não adiar os planos de formar ou aumentar a família pode poupar problemas de fertilidade no futuro.


2. NÃO FUME
O fumo está associado à diminuição da movimentação dos espermatozoides, à diminuição da função das trompas uterinas e à aceleração do processo de envelhecimento ovariano. Inúmeros estudos vêm mostrando o efeito deletério do cigarro em todos os estágios do processo reprodutivo, inclusive afetando as taxas de gravidez em tratamentos de reprodução assistida.


3. NÃO USE ÁLCOOL E DROGAS
O uso do álcool está associado à diminuição da fertilidade feminina, alterando a qualidade dos óvulos. Além disso, recentemente foi demonstrado que nenhuma dose de álcool é considerada segura durante a gestação, não devendo ser consumido nessa fase. Nos homens, o uso de álcool pode levar  à diminuição dos níveis de hormônios masculinos, à impotência sexual e à diminuição da quantidade e qualidade dos espermatozoides.

Maconha e cocaína estão associados a menores taxas de fertilidade, maior risco de aborto e alguns estudos cogitam maior risco de malformações fetais. Hormônios anabolizantes podem tornar homens inférteis temporariamente durante o uso e, apesar de infrequente, podem até provocar infertilidade definitiva com ocorrência de azoospermia.


4. MANTENHA O PESO ADEQUADO
Homens obesos têm maior incidência de alterações espermáticas e diminuição dos níveis de testosterona, e mulheres obesas ou muito magras têm maior incidência de problemas com a ovulação. Comprovadamente a redução do peso melhora o desejo e função sexual contribuindo para o aumento das taxas de gravidez natural.  Mesmo que não tenha afetado a ovulação, a obesidade leva a menores taxas de gestação, mesmo em tratamentos de reprodução assistida, e está associada a maior incidência de complicações na gestação como maior incidência de abortos espontâneos, malformações fetais, hipertensão e diabetes.  Reduções de peso de 10% aumentam as taxas de gravidez em mulheres obesas e com sobrepeso.


5. ALIMENTE-SE BEM
Estudos científicos demonstram que a dieta rica em vitaminas está associada a maior fertilidade masculina e feminina por estar relacionada à maior ingestão de antioxidantes. Idealmente, essa utilização de vitaminas deve ser originária da alimentação rica em frutas e vegetais.


6. FAÇA EXERCÍCIOS REGULARMENTE
O exercício físico está associado à manutenção do peso corporal e à diminuição do estresse. Além disso, melhora a autoestima, refletindo em melhora do desejo e frequência sexuais. Entretanto, o exercício físico intenso pode acarretar problemas com a ovulação. Portanto, o exercício deve ser realizado de forma coerente.


7. VÁ AO MÉDICO REGULARMENTE
Independente de sintomas, a mulher deve consultar o ginecologista regularmente pois a identificação e tratamento precoces de doenças como lesões de colo uterino, infecções nas trompas e endometriose podem prevenir a infertilidade. O homem geralmente é mais resistente ao aconselhamento médico. Jovens devem ser avaliados pelo urologista, principalmente para a identificação de fatores corrigíveis e que podem provocar infertilidade, especialmente a varicocele. Em situações de trauma ou sintomas do trato reprodutor, o médico deve ser procurado imediatamente pois o retardo do tratamento (infecções, torções testiculares) pode afetar a fertilidade.


8. ADOTE A CONDUTA DE SEXO SEGURO
Evitar a ocorrência de doenças sexualmente transmissíveis, como infecção por bactérias (Clamídia e Gonococo), previne a  infertilidade. Essas bactérias podem atacar o trato reprodutor, causando alterações no funcionamento das trompas uterinas e na quantidade de espermatozoides ejaculados. A melhor prevenção é o uso do preservativo por indivíduos que não estão tentando engravidar, independente do uso de outros métodos anticoncepcionais.


9. ATENTE PARA FATORES AMBIENTAIS
A exposição a ondas eletromagnéticas, como as do celular, parece estar associada à piora da qualidade do sêmen. Evite o uso de celular no bolso de calças. O aumento de temperatura, como a exposição a equipamentos de trabalho (fornos, computador no colo) ou a manutenção dos testículos mais próximos ao corpo (tempo prolongado na posição sentada, roupas apertadas) podem diminuir a produção de espermatozoides. A poluição ambiental e a exposição a agentes tóxicos, seja no meio ambiente ou em locais de trabalho, como pesticidas, agrotóxicos e outros poluentes, podem afetar a função reprodutiva e a manutenção de gestações.


10. CONTROLE O ESTRESSE
Sabe-se que o estresse altera a produção hormonal, podendo interferir na fertilidade. Distúrbios do sono, liberação exagerada de adrenalina podem alterar a função reprodutiva diretamente, além de diminuir o desejo sexual.  Tente organizar sua rotina diária e tenha atividades de lazer.

No Comments Yet.

Leave a comment

WhatsApp
Enviar WhatsApp