Nutrição e fertilidade

Mantenha o peso adequado
O IMC (índice de massa corporal) ideal para ter sucesso em obter gestação, sem influências sobre a ovulação, produção de espermatozoides e manutenção da gestação é um valor entre 18 e 25 kg/m². Para obter o seu IMC, calcule abaixo.
Alimentos que ajudam na fertilidade
Não é possível atribuir exclusivamente à alimentação o sucesso ou dificuldade de engravidar. Porém, uma dieta adequada mantendo todo o organismo em bom funcionamento, além de manter a ovulação e os hormônios com função adequada, melhora a qualidade dos óvulos e espermatozoides. Ao melhorar as condições físicas e a autoestima, o desejo sexual aumenta, contribuindo parra maiores taxas de gestação natural.

Mulheres que estão tentando engravidar devem evitar dietas hipocalóricas restritivas, isto é, fazer dietas radicais com perda de peso abrupta. Estudos demonstram que estas reduções drásticas de peso pioram a qualidade dos óvulos.

Algumas dicas de alimentação para aumentar suas chances de gravidez

- Aumento da ingesta de frutas e verduras melhora a função espermática desde que esses alimentos não contenham resíduos de pesticidas. Assim, o consumo dos alimentos ditos orgânicos pode apresentar um resultado melhor. Isso deve ser uma regra: prefira sempre os vegetais ditos orgânicos, que possuem menor teor de agrotóxicos.

- Independente do peso corporal, isto é, mesmo para os indivíduos magros, a ingesta de grande quantidade de gorduras saturadas piora os resultados de fertilidade natural e em técnicas de reprodução assistida.

- Prefira laticínios integrais aos desnatados. Os desnatados afetam mais o equilíbrio hormonal. Duas a três porções diárias de laticínios parece melhorar a qualidade embrionária.

- Café não é proibido, mas deve ser consumido com moderação pelo casal em virtude do aumento dos radicais livres produzidos por este produto.

- Alimentos contendo açucares refinados com alto índice glicêmico, como pão, massas, biscoitos de farinha de trigo, bolos entre outros, além de conterem alto índice glicêmico (elevam rapidamente a insulina fazendo você armazenar os alimentos como gordura corporal e causam disfunções hormonais pelo aumento de uma proteína que carrega hormônios, a SHBG) passam por processos que retiram os nutrientes como antioxidantes, vitaminas e ferro. Substitua esses alimentos por produtos de baixo índice glicêmico, como arroz integral, aveia em flocos, mandioquinha, batata-doce, milho, inhame, quinoa, maçã, pera, ameixa, atum e grão-de-bico.

- gordura trans deve ser eliminada da dieta. Ela está associada ao aumento da obesidade e disfunções ovulatorias. Homens obesos têm pior qualidade de espermatozóides. Por outro lado, é necessário que a mulher ingira gordura boa para manter a produção de seus hormônios adequados. Fontes de gorduras boas são óleo de soja e canola, ômega 3 presente na linhaça, nas nozes, na chia e nos peixes de águas profundas e frias (salmão, bacalhau, atum, sardinha, truta).

- coma com moderação e evite comer sem ter apetite

- Consuma aproximadamente 3 a 5 porções de frutas e hortaliças

- Soja deve ser consumida com moderação por possuir fitoestrógeno, componente que se assemelha ao hormônio feminino. No consumo exagerado, os fitoestrógenos podem interferir no processo de ovulação.

- Evite o álcool. Ele altera a ovulação e nos homens interfere na produção de testosterona, podendo acarretar problemas na função sexual e esperamatogênese.

- Os homens podem caprichar na dieta rica em selênio e zinco, como castanhas e nozes.

- pacientes com doença celíaca podem ter maior chance de terem problemas de infertilidade. Portanto, devem ser acompanhados por nutricionista evitando os alimentos nocivos à evolução de sua doença e piorando o prognóstico da fertilidade.

 

Nutriente Função na fertilidade Alimentos
Ácido fólico Auxilia na formação do sistema nervoso do feto. Verduras escuras (brócolis, espinafre, rúcula e agrião) e frutas cítricas. Deve ser suplementado através de cápsulas pelo menos 1 a 2 menos antes de iniciarem as tentativas para engravidar e ser mantido até 3 meses de gestação ou até ordem obstétrica.
Ferro Auxilia no desenvolvimento do feto e contribui para adequada ovulação. Feijão, cereais e verduras escuras (brócolis, espinafre, rúcula e agrião), carne vermelha, fígado, aves e peixes.
Vitamina E Aumenta a mobilidade dos espermatozoides, melhora qualidade do endométrio favorecendo o processo de implantação do embrião. Cereais e óleos vegetais (oliva, canola, girassol e milho), germe de trigo, nozes e azeites, alface, agrião, espinafre e couve.
Ômega 3 Auxilia na fertilização do óvulo e contribui com o desenvolvimento intelectual do bebê. Óleo de linhaça, sardinha, atum e salmão.
Zinco Melhora a qualidade da ovulação e a função dos espermatozoides. Carnes, camarão, ostras, germe de trigo e fígado de galinha.
Vitamina C Melhora a qualidade dos óvulos, aumenta a mobilidade e concentração dos espermatozoides.

 

Verduras escuras e frutas cítricas (laranja, limão, abacaxi, tangerina e morango). Procures consumir sucos imediatamente após sua elaboração.
Selênio Melhora a qualidade da ovulação e a função dos espermatozoides Oleaginosas (nozes, castanhas, amêndoas, pistache e avelãs).
Vitamina D Associado à qualidade dos óvulos e do útero e do endométrio. Sardinha, atum, salmão, ovos, fígado, iogurte, manteiga.
Vitamina B Auxilia no ciclo menstrual, melhora o endométrio e está envolvida na formação do tubo neural do bebê. Verduras escuras, ovos, cereais integrais, leite e queijos (melhor os com baixo teor de gordura) ,carnes magras),  leguminosas (feijões, grão-de-bico, ervilhas e lentilhas).
Coenzima Q10 Aumenta a fertilização do óvulo pelo espermatozoide. Carne de aves e peixes são as fontes mais concentradas. Pequenas quantidades podem ser encontradas em cereais, soja, nozes e vegetais, tais como espinafre e brócolis.

No Comments Yet.

Leave a comment

WhatsApp
Enviar WhatsApp