Gabriela e Leandro

Ser mãe sempre foi meu maior sonho. Ficava imaginando como seria estar grávida, ver meu corpo se modificar, o que eu sentiria e, principalmente, se daria conta da responsabilidade se cuidar de algém tão pequeno e dependente.

Em maio de 2008, descobri que estava grávida. Na ultrassonografia de 14 semanas de gestação, apareceu: era uma menina, a Clara. Não esperávamos o susto: com 21 semanas de gestação, Clara resolveu nascer. Viveu 15 minutos de muita luz. Ficou a saudade...

Em maio de 2010, resolvi tentar novamente. Procurei a Dra. Angela para orientações e acompanhamento. Logo, tudo aconteceu: em 17 de agosto de 2010, aniversário de minha mãe, descobri que estava grávida. A ficha demorou para cair, não parecia real. Somente na primeira ecografia, acreditei. Foi um momento emocionante ouvir o coraçãozinho batendo rápido e forte. Algo inexplicável. A dra. estava deconfiada. Comentou e me orientou sobre um procedimento chamado cerclagem, pois eu poderia ter incompetência do colo uterino, por causa dos sintomas da primeira perda. Com 12 semanas de gestação, a boa notícia: o bebê era um menino... e a má notícia: o colo uterino realmente estava abrindo com o peso do bebê. Com 16 semanas, realizamos a cerclagem e eu iniciei um longo período de repouso e ansiedade. Tinha medo de que tudo acontecesse novamente. Ao atingirmos a 30ª semana, tudo mudou. A tranquilidade começou a reinar.

Em 27 de março de 2011, com 38 semanas de gestação, veio ao mundo o Thomaz, que a dra. Angela ajudou a nascer e dizia durante o parto: "Olha quanta dobrinha!" Thomaz se mantém um bebê alegre, ativo, simpático, sempre sorridente, para o encanto do papai Leandro, dos avós, Claudete, Luiz, Jurci e Clenice, sem falar nos dindos Ana Carolina e Ezequiel.

É impossível imaginar a vida de forma diferente desde que esse bebezão veio ao mundo com 3,485 quilos e 46 centímetros - hoje, com 4 meses, passa dos 6,2 quilos e de 62 centímetros. Meu anjinho exige atenção máxima e carinho constante. Há o cansaço, as noites maldormidas, as preocupações, a saúde, as despesas. Sim. E daí? Ser mãe do Thomaz me traz as maiores realizações, emoções e alegrias do mundo. O amor é puro, intenso e verdadeiro. Obrigada, Dra. Angela!!!!!!!

As fotos e depoimentos contidos nesta página foram publicados com autorização prévia dos pacientes.

Comments are closed.

WhatsApp
Enviar WhatsApp