Fertilização in vitro (FIV/ICSI)

A fertilização in vitro é a técnica de reprodução assistida que, de forma geral, envolve a maior complexidade de um laboratório de reprodução assistida.

Nessa técnica, a mulher é submetida à estimulação da ovulação através do uso de medicações injetáveis, sendo acompanhada com a ultrassonografia pélvica periódica, aproximadamente a cada dois dias. A paciente é então submetida à captação dos óvulos por meio da ecografia transvaginal acoplada a uma agulha de aspiração, sob sedação. Estes óvulos são encaminhados ao laboratório de fertilização in vitro onde, em contato com os espermatozoides do companheiro (ou doador anônimo), darão origem ao(s) embrião(s) que posteriormente será transferido para o útero da paciente.

É geralmente indicada nos casais que contemplem um ou mais dos seguintes critérios:

  • 1. Obstrução ou alteração funcional importante das trompas uterinas
  • 2. Alteração seminal (quantidade, motilidade ou qualidade dos espermatozoides)
  • 3. Tempo de infertilidade prolongado (a literatura científica alerta que casais que tentam engravidar há mais 3 anos dificilmente conseguiram de forma natural sem nenhuma intervenção)
  • 4. Idade avançada da mulher
  • 5. Tentativas de engravidar sem sucesso com métodos de baixa complexidade, como o controle de ovulação e inseminação intrauterina
  • 6. Baixa reserva ovariana
  • 7. Endometriose

A Associação de fatores acima deve agilizar a realização da fertilização in vitro sob pena de diminuir as chances de sucesso no tratamento caso haja retardo na indicação.

As chances deste procedimento variam conforme a idade da mulher, a qualidade dos óvulos, a qualidade do sêmen e a facilidade de colocação dos embriões dentro do útero. Suas chances de sucesso oscilam, em média, entre 5% e 60% de sucesso, dependendo dos fatores acima citados.

Assista ao vídeo explicativo sobre fertilização in vitro abaixo.

Comments are closed.

WhatsApp
Enviar WhatsApp