Nutrição e sua chance de ter seu filho

Esse tema é tão importante que merece um tópico específico para ela: a NUTRIÇÃO!

Já dizem os antigos: você é o que você come.

Na atualidade, mais precisamente nos últimos dez anos, especialmente nos últimos 5 anos, a atenção acerca da causa das doenças tem se voltado para os hábitos dos indivíduos. E não é diferente quando se fala em reprodução.

Apesar de, obviamente, quando estamos diante de uma caso de infertilidade precisarmos ser enfáticos na busca pela causa da infertilidade, a alimentação e outros hábitos de vida precisam ser valorizados tanto para aumentar as chances de gestação natural como para aumentar a eficácia dos tratamentos.

Podemos dizer que  os hábitos de vida são a SUA PARTE no processo de obtenção de gestação, bem como de aumentar as chances de gravidez. O melhor tratamento, orientações gerais e de relação sexual, o melhor protocolo a ser seguido, entre outros, é ditado pelo profissional médico. Mas os hábitos de vida e a mudança deles que impactam nas taxas de gravidez é de responsabilidade do paciente. Não infrequente, casais tentando engravidar sem nenhuma causa para infertilidade definida acabam engravidando naturalmente ao mudarem de estilo de vida. Por outro lado, também de forma rotineira, casais com uma causa definida de infertilidade, com indicação de tratamentos para engravidar, apoiam-se exclusivamente no tratamento da infertilidade e esquecem da sua responsabilidade em modificar fatores que podem agir negativamente na sua chance de gravidez. E após um negativo, frustram-se ao perceber que não fizeram tudo o que poderiam ter feito para que o sucesso acontecesse.

Por esses motivos, é fundamental que você tenha plena consciência dos seus hábitos de vida, especialmente os alimentares.

Como regra geral, entendendo que este artigo não corresponde a uma orientação nutricional completa, as dicas básicas para uma boa nutrição em casais tentando engravidar são:

  1.  consuma frutas de vegetais diariamente
  2. limite-se a ingerir no máximo uma porção de fast food por semana;
  3. coma carne vermelha, mas limite-se a ingerir o alimento 3 vezes por semana;
  4. evite alimentos industrializados, com conservantes – prefira descascar a desembrulhar;
  5. evite os embutidos, como salsichas presuntos, etc;
  6. evite cafeínas em excesso, como café, chás pretos, refrigerantes de cola;
  7. procure comer peixe uma a duas vezes por semana;
  8. evite os carboidratos refinados, como a farinha de trigo e o açúcar branco;
  9. evite as sobremesas, as gorduras trans (presentes no óleo de soja, salgadinhos processados;
  10. evite o excesso de pães, bolos e biscoitos;
  11. prefira as gorduras insaturadas presentes no azeite de oliva, peixes, oleaginosas como nozes, castanhas e amêndoas;
  12. ingira pelo menos 2 litros de água ao dia;
  13. cuide do seu intestino! É importante que você evacue diariamente!

Lembre-se que não há nenhum alimento milagroso que fará você engravidar, nem um alimento obrigatório na dieta de quem quer ter  um  bebê.

Outro fato importante é que a dieta deve ser seguida pelo casal. Homens também são afetados por consequências da obesidade e dos maus hábitos alimentares em sua fertilidade.

Ao tentar mudar seu estilo de vida para uma nutrição mais saudável pode ser interessante uma avaliação com profissional da área, o nutricionista.

Todas essas orientações são importantes independente do peso corporal do indivíduo. Porém, além disso, pacientes que estão com seu peso corporal muito acima do normal, ou abaixo dele, podem ter sua chance de gestação diminuída, tanto quando ainda nas tentativas naturais, tanto quando nas tentativas através de tratamentos de alta complexidade. Abaixo, uma tabela mostrando qual o impacto das alterações do peso na mulher nas chances de gestação.

O peso é avaliado através de um índice que contempla a relação entre a altura e o peso do individuo, calculado através da fórmula abaixo.

Desenvolvido por www.bentosistemas.com.br
Abrir Whatsapp
1
Agendar consulta
Olá, gostaria de agendar uma consulta?